1969 a 1985

A Era Colorida

A Heuer apresentou os primeiros cronógrafos automáticos do mundo em 1969 com os modelos Autavia, Heuer Carrera e Monaco.

A Heuer rapidamente passou do preto e branco dos anos 1960 para as cores vibrantes e formatos chocantes dos anos 1970.

1969

Calibre 11: os Primeiros Cronógrafos Automáticos

A joint venture liderada pela Heuer seria a primeira a oferecer cronógrafos automáticos em mercados mundiais, com o movimento Calibre 11 (Chronomatic). Os automáticos Autavia, Heuer Carrera e Monaco foram apresentados em março de 1969, em coletivas de imprensa em Genebra e Nova York. Além da inovação técnica do movimento, novas caixas saltaram do look das décadas anteriores para o estilo radical dos anos 1970.
1969

Monaco e McQueen

Três modelos eram alimentados pelo primeiro movimento automático da Heuer, mas foi o novo Monaco que capturou a atenção do mundo. O Monaco combinava uma arrojada caixa quadrada com mostradores azul meia-noite ou cinza carvão para criar um cronógrafo que seria notado. Para o filme As 24 Horas de Le Mans, a estrela de Hollywood Steve McQueen queria seguir o estilo do seu herói das corridas, Jo Siffert, que era embaixador da Heuer. Isso levou McQueen a escolher o cronógrafo Heuer Carrera para o pulso e o patch “Heuer Chronograph” para o seu macacão de corrida. A ousada combinação chamou a atenção mundial para o novo cronógrafo Heuer. A versão final do Monaco (que os colecionadores hoje chamam de "Dark Lord") incorporou o look militar dos anos 1970 usando um mostrador preto em uma caixa revestida de preto.

1971

Gerações de Cor

Seguindo o lançamento dos seus primeiros cronógrafos automáticos, a Heuer começou a expandir a linha de seus modelos com formatos e cores ousados.

Até o final da década houve uma mudança para um look elegante, com caixas delgadas e linhas refinadas.

1971

Estilo Selvagem

Ousados cronógrafos automáticos apresentados pela Heuer incluíam o Calculator, que incorporava uma régua de cálculo circular, e o maciço Montreal, com escolhas do mostrador em azul, branco, preto e champanhe. O Silverstone celebrava o circuito de Fórmula 1 da Inglaterra, com mostradores em vermelho, azul ou fumê. A Heuer fez experimentos com caixas monocoque, usando fibra de vidro para o modelo Temporada, com look bem exótico.
1971

O Centigraph para Cronometragem de Pista

A Divisão de Eletrônica da Heuer desenvolveu o Centigraph, um sistema de cronometragem usado pela equipe Ferrari. Este sistema permite que as equipes de corrida rastreiem seus pilotos com grande precisão. Exibindo tempos de até 1/1000 de segundo, o Centigraph permitia que a equipe cronometrasse vários carros, com o número de voltas, o tempo da última volta e o tempo total impressos na hora. Recursos especiais foram adicionados, e outras equipes de corrida logo se tornaram clientes.
1975

Avenida Eletrônica

A Heuer foi pioneira na cronometragem eletrônica para equipes de corrida líderes do mundo, e esse mesmo tipo de tecnologia logo chegou aos cronógrafos. O Chronosplit de 1975 apareceu como um robô amigável, com suas telas duplas para as funções de hora e cronógrafo. O Manhattan era bem mais radical, com sua caixa de seis lados abrigando uma tela analógica e outra digital. Entretanto, esses novos cronógrafos enfrentaram grandes desafios por conta das taxas de câmbio entre francos suíços e dólares americanos e dos relógios a quartzo recém-lançados no Japão.
1977

Design Refinado

Depois dos excessos no começo dos anos 1970, a Heuer mudou para designs mais refinados e elegantes no final da década. O Cortina, Jarama, Monza e Verona celebravam os destinos europeus para as corridas e outros esportes. O Daytona e Kentucky capturaram a emoção dos locais de corrida nos Estados Unidos, um para as corridas de carros e o outro para as corridas de cavalos. Os modelos apresentavam caixas mais finas, muitas delas apresentando pulseiras integradas em aço, criadas para uso com roupas esportivas ou elegantes.
1979

A Mudança para Relógios de Mergulho

O catálogo da Heuer de 1978 estava cheio de cronógrafos automáticos e eletrônicos, mas em 1979 a empresa apresentou os resistentes relógios de mergulho que iriam se tornar o seu futuro. Iniciando com um alguns modelos, catálogos de relógios de mergulho seria expandido para dúzias de modelos, com movimentos automáticos e a quartzo. Os mostradores eram luminosos, laranja, verde oliva e em estanho, ou no tradicional preto, com tamanhos variando de 28 a 42 milímetros.