STEVE MCQUEEN O REBELDE

UMA ESTRADA ÚNICA PARA O SUCESSO

"Quando você está numa corrida, isto é a vida. Tudo que acontecer antes ou depois é apenas espera."

Antes de Steve McQueen, a máquina de Hollywood só sabia como cuspir heróis e vilões. Os filmes eram coloridos, mas os seus códigos e valores eram em preto e branco — mocinhos, bandidos, nada intermediário.

Depois do reinado do King of Cool de olhos azuis, os durões governaram. Estrelas de cinema tentaram desde então dominar sua autoconfiança desafiadora de autoridade, seu jeito descontraído, seu estilo macho de jamais sucumbir à pressão. Ninguém chega perto.

...COMO A TAG HEUER

O legado de Steve McQueen é atemporal. Mais do que um ator, mais do que um piloto, ele se tornou uma lenda. Como a TAG Heuer, ele se autodefiniu além dos padrões e jamais sucumbiu à pressão.
Quando criança, com uma mãe que não podia cuidar dele, Steve McQueen se mudou para a fazenda de seu tio, no Missouri. Foi lá que uma bicicleta vermelha brilhante, dada a ele por seu tio, despertou seu amor pela velocidade e a paixão pelas corridas, que dominariam sua imaginação para o resto de sua vida. A sua infância dali por diante foi uma história tirada de Dickens, reescrita para...

a Grande Depressão: vagando de um lar desfeito para outro, parte de uma gangue aos 12 anos e vivendo nas ruas aos 14. Ele juntou-se ao circo, foi reencarcerado em uma instituição correcional de jovens e embarcado para o exterior com os fuzileiros navais. Então ele descobriu a interpretação e Hollywood o descobriu, e por duas décadas ele foi o dono das bilheterias, mesmo quando virou as costas para elas e retornou a seu primeiro amor — as corridas. Primeiro, as motocicletas — no momento de sua morte, em 1980, ele possuía mais de 100 modelos vintage — e então carros. Ele ficou em segundo lugar nas 12 Horas de Sebring em 1970, pilotando um Porsche 908/02 com um gesso em seu pé esquerdo de um acidente de moto, ocorrido duas semanas antes. Mais tarde naquele ano, dirigiu outro Porsche no filme de corrida As 24 Horas de Le Mans, desta vez usando uma insígnia Heuer em seu uniforme de corrida e um Heuer Monaco de mostrador quadrado no pulso. O relógio azul e o homem de olhos azuis têm sido associados desde então. Pois como a TAG Heuer, Steve McQueen é um desbravador de caminhos que recusava limites, um rebelde que sempre seguiu seu próprio caminho e que, não importava o que fosse, jamais sucumbia à pressão.

SAIBA MAIS

EMBAIXADORES

Há mais de 150 anos a TAG Heuer tem encarado cada desafio, e superado todos eles. Desafiando convenções da relojoaria suíça consagradas através dos tempos, ela as elevou a níveis cada vez mais altos de precisão e desempenho. Ela faz suas próprias regras, escolhe seu próprio caminho, nunca desiste de avançar, nunca cede, nunca sucumbe à pressão, assim como seus embaixadores.