19 NOV. 6° homem a bordo do Oracle Team USA Racing AC45, "Coutts", em San Diego

  • Equipe da Oracle USA 02

A TAG Heuer foi a pioneira das marcas suíças de relógios a produzir relógios para esportes a vela, para iatismo e para mergulho. De volta a 1949, a Empresa introduziu o "Mareograph", o primeiro relógio de todos os tempos a ter um indicador de marés, permitindo a marinheiros vigiar marés e, portanto, correntes ligadas as elas, uma informação fundamental para ganhar ou perder um regata. Desde então, a TAG Heuer tornou-se uma referência em grandes e prestigiosos relógios e cronógrafos de esportes náuticos, tanto debaixo d'água quanto em barcos a vela, com suas icônicas e lendárias séries "Aquaracer", nascidas em 1979, inicialmente sob o nome "1000 series", do pensamento avançado de Jack Heuer e, desde então, um ícone fundamental da marca. Em 3 décadas, o Aquaracer vendeu mais do que qualquer outra coleção TAG Heuer, e se tornou o símbolo do chique casual "Art de vivre". Com resistência a agua entre 300 e 500 metros, a série Aquaracer incorpora o compromisso inigualável da TAG Heuer com qualidade superior e performances à prova do tempo. Graças a seu know-how único, a TAG Heuer tem sido a favorita dos capitães e protagonista de várias America's Cups desde 1967, com a parceria da última década com a Oracle Team USA-BMW em 2002, China Team em 2007 e Oracle Team USA Racing "Team USA" na 34° America's Cup em 2013 e nas séries da America's Cup World de 2011-12 e 2012-13.

Enquanto ex-instrutor de vela, que fui quando era muita mais jovem, eu só poderia ser apaixonado pela história apaixonada e épica da America's Cup Sua primeira edição foi em 1851, e como tal é o mais antigo e mais prestigioso troféu da história moderna dos esportes. Duas vezes participante de equipes em 2002 e 2007, eu tive a incrível sorte de ser "tolerado" como o 17° homem no USA-76 e no CHN-95, dois barcos IACC monocasco, gigantes de 25 metros / 24 toneladas. Esses barcos gigantes eram mais comparáveis aos carros do Le Mans LMP 1 do que aos da Fórmula 1. Eles tinham a incrível capacidade de navegar a barlavento a impressionantes ângulos de 16 graus que, em qualquer outro veleiro, significaria ficar parado em frente do vento.! Mesmo que a Cup fosse extraordinária, esses barcos corriam bastante longe da costa e a corridas eram muitas vezes canceladas ou adiadas, fazendo o esporte muito difícil de ser transmitido e até de entender, exceto por especialistas. Com seus bulbos de 19 toneladas sob a água para assegurar a performance a barlavento, eles pareciam muito estáveis para um não especialista, faltando, de alguma maneira, a espetacularidade obrigatória para que um esporte se torne global e amplamente apreciado. Por último, como cada Cup era realizada em intervalos entre 1 e 5 anos, sem nenhuma competição entre eles, o esporte, a despeito de sua grande história e grandes performances continuavam a ser um nicho muito marginal se comparado à Fórmula 1, apesar de grandes orçamentos em comum para as equipes em competição. Não era sustentável.



Com a Oracle Team USA, liderada por Larry Ellison e Russell Coutts, ganhando em 2010 a 33° America's Cup e, assim, tornando-se o Defensor encarregado das regras para a 34° America's Cup em San Francisco em setembro de 2013, tudo mudou para melhor. Primeiramente, e a fim de gerar interesse contínuo por parte do público, as séries da America's Cup World foram criadas, em linhas semelhantes às do campeonato mundial de Fórmula 1, com 7 eventos em 2011-12 e outros 7 em 2012-13, antes da Louis Vuitton Cup e da 34t° America's Cup. Também, os pesados monocascos deram lugar para as séries de ultra leves e ultra rápidos 1,4 toneladas com asas em "fibra de carbono" + multicascos movidos a velas, o AC45, todo construído na Nova Zelândia do mesmo estaleiro a fim de reduzir custos e de assegurar performances parecidas. Eles são os barcos a vela de corrida mais rápidos que já se construíram e se comparam sob qualquer ângulo com a Fórmula 1. A sua combinação única de performances, tecnologia e design faz deles parceiros naturais da TAG Heuer. Assim, as regras tornaram as corridas "compatíveis com público e TV", com uma combinação de corridas em flotilha ou match racing de tempo ilimitado e tempo de largada garantido, que, combinadas com as últimas tecnologias digitais, permitem seguir as eletrizantes competições tão facilmente quanto o Grand Prix de Fòrmula 1. Para não mencionar a corrida próxima à praia e que permite um grande público, como tivemos em San Diego (mais de 20.000 nas praias), para assistir aos barcos em disputa de muito perto. Este veleiros mais rápidos, pilotados pelos melhores marinheiros do mundo, tiveram a sua primeira competição em Cascais, Portugal, em setembro de 2011. San Diego foi a terceira etapa da temporada. Eu tive a sorte de estar lá e competir durante 25 minutos numa match race a bordo do Oracle Team USA "Coutts" capitaneado por Darren Bundock, e competindo contra GreenComm Racingda Espanha. Que experiência!



Como o "6° homem", você participa mais por causa do peso (máximo de 100 Kg, eu sendo muito mais leve, a tripulação teve de colocar 20 Kg em cinturões de peso na popa) e é gentilmente, mas firmemente, solicitado a se deitar na popa do AC45 em uma rede de segurança semi-rígida e com uma corda em ambos os lados para ajudar a se agarrar em alguma coisa e não cair dentro do mar. Como uma cortesia e em nome da eficiência, você trabalha também, mudando de lado numa idealmente perfeita sintonia com a tripulação, cada vez que o barco dá uma guinada e a direção do vento muda . No resto, você só tem de abrir seus olhos e admirar a incrível manobra da equipe de 5 profissionais de primeira linha, composta de um capitão, um tático e três membros responsáveis por içar, recolher e regular as velas e o gennaker sob a coordenação do capitão, Darren. 7 minutos antes da largada, todos os 5 membros ajustam seu computador de bordo e TAG Heuer Aquaracer Digi-Ana para contagem regressiva de 420 segundos, observando muito de perto o barco GreenComm e tentando calcular com ventos médios e rápidos as melhores opções potenciais a fim de ganhar vantagem na largada que os permita controlar a corrida. "5 minutos!" a tensão aumenta e todos começam a se concentrar e a testar manobras para se certificarem da perfeita sincronia necessária para ganhar. Um segundo perdido significa de 10 a 15 metros, que é o comprimento do barco, o que faz sempre a diferença entre o ganhador e o outro... Acelerações são incrivelmente rápidas, mesmo porque o barco é leve e a combinação de asa e vela, poderosa e reativa, como um motor supercarregado com torque de 800 nm! O vento fraco de 6 nós torna-se como por mágica em velocidade de 19 nós! Em ventos mais fortes, o AC45 pode facilmente passar dos 35 nós de velocidade. Quem foi que disse que a energia dos ventos não tem futuro?!!! Um minuto, trinta segundos, "Coutts" jà está a toda velocidade em direção à linha de chegada com o GreenComm chegando igualmente rapidamente de um ângulo diferente. 5-4-3-2-1...a tensão é extrema porque cruzar a linha 1 segundo cedo demais significa uma penalidade de dois barcos, eliminando as chances de ganhar. Daí, a importância da precisão da contagem regressiva dos cronógrafos TAG Heuer Aquaracer Incrivelmente, Darren atravessa a linha menos de um segundo depois do "0" tomando a vantagem imediata de comprimento de um barco sobre o GreenComm tão próximo que, da popa, eu posso praticamente apertar as mãos do capitão. Darren observa os ventos em constante mudança a fim de evitar uma opção errada e para forçar o GreenComm a decidir por uma rota alternativa que Darren imediatamente imita enquanto líder da corrida para manter o controle. "Coutts" está agora acelerando a 20 nós com um ângulo de 30 graus (5 metros acima do nível da água) em direção à proa do primeiro comitê da regata. A tripulação prepara a imensa gennaker para o próximo sotavento que seguiu nosso primeiro barlavento. 5-4-3-2-1-partida!, "Coutts" gira sobre si mesmo, passando a algumas polegadas da proa com a gennaker perfeitamente lançada e jà acelerando o barco em direção à próxima proa sob os olhos escrutinadores dos barcos do Comitê da Regata, os barcos cronometristas da Louis Vuitton e os vários barcos de velocidade de apoio e "protetores" usados pela Oracle Team USA, para não mencionar a centena dos barcos dos espectadores que cercam o trajeto da corrida. Impressionante. Nós temos agora 5 barcos de vantagem e muito embora já esteja ganha, Darren, como um profissional de primeira linha, mantém pressão e concentração máximas até a linha de chegada para ganhar com um impressionante 48 segundos de vantagem. Uau! Esta é realmente uma grande experiência, e os barcos IACC, em comparação, parecem muito lentos e pesados. E hoje a corrida foi apenas com o AC45 (de 45 pés). Para a Louis Vuitton e a America's Cup, eles vão mudar para AC72, que é um multicasco praticamente duas vezes mais longo e mais poderoso. Larry Ellison e Russell Coutts mudaram o jogo para melhor, para a grande felicidade de James Spithill e Darren Bundock, os dois capitães. As séries America's Cup World são realmente "os barcos mais rápidos no mundo com os melhores marinheiros do planeta"; E a TAG Heuer está orgulhosa em ser parceira do "mais rápido entre os mais rápidos barcos e do melhor entre os melhores marinheiros", o Oracle Team USA Racing com Russell, James e Darren. Experiência única que eu nunca esquecerei.

Jean-Christophe Babin - Presidente Diretor executivo da TAG Heuer - o parceiro nos cronógrafos e nos óculos de sol da Oracle Team USA Racing / Team USA / Concorrente da 34° America's Cup.

Principais dimensões do AC45 "Coutts" (todos as equipes têm barcos semelhantes)

-Comprimento do casco 13,45 metros
- altura do mastro 21,50 metros
- calado máximo 2,70 metros
- deslocamento 1400 Kg
-área de asa 85 m²br />-área de vela de estai 48 m²
-área de gennaker 125 m²
-velocidade máxima 40 nós
- tripulação 5 (+ "o 6° homem" ou 100 Kg senão)

The TAG Heuer MONACO V4 Titanium Ruthenium and Ceramic has been named the 2011 Swiss Watch of the Year in the Grand Prix de l'Horlogerie de Genève’s highly competitive “Design” category.



The Grand Prix de l'Horlogerie de Genève is the Swiss watch industry’s most prestigious award competition. The victory of the limited-edition watch — the newest “Next Generation” version of the Swiss brand’s unique belt-driven V4 — marks the 7th time in 9 years that TAG Heuer has been singled out by the Geneva jury for its engineering and design prowess.



“This is a huge honour,” said a proud Jean-Christophe Babin, the CEO and President of TAG Heuer. “What a perfect way to close out our “Mastering Speed for 150 Years” celebrations! When we unveiled the original V4 in 2004, people were impressed but few thought we’d ever get beyond the Concept stage. Now here we are, seven years later, winning industry recognition for a third rollout edition that is even more amazing — both technically and in terms of style and design — than the prototype.”



The most high-tech, high-luxury V4 to date


Winner in its concept stage of Wallpaper* Magazine's "Watch of the Year" Award and Popular Science's "Best of What's New" Awards, the Monaco V4 is the revolutionary new incarnation of the iconic Monaco — the audacious, square-faced watch first seen on Steve McQueen’s wrist in the 1970 race classic film Le Mans.


Entirely in-house and hand-made in TAG Heuer’s new ultra avant-garde haute horology workshop in La Chaux de Fonds, the Monaco V4 Titanium Ruthenium and Ceramic takes full advantage of the unique properties of Titanium (Grade T-5). The case, hour markers, hands, crown and folding buckle are made of the super-light, ultra-resistant alloy. Fine-brushed silicon nitride “ceramic” inserts run along the sides of the watch case, visually lightening its square shape. Black Ruthenium coats the luxuriously textured “dial”. The strap is in ultra-soft, large-scale alligator, with anthracite hand stitching and a rubberized leather lining.



The V4 movement’s groundbreaking architecture, visible through the timepiece’s anti-reflective sapphire crystal front and back, remains unchanged (tungsten ingot linear mass, two pairs of barrels in series, set in parallel and linked by belts), but the finishes have been completely revisited, with a black Ruthenium coating on the back plate and the Côtes de Genève decorated bridges.



A stunning tribute to the Swiss brand’s “Mastering Speed for 150 Years” celebrations in 2011, the Monaco V4 Next Generation Titanium Ruthenium and Ceramic is available in an exclusive edition of 200 pieces.

NAO FOI TRADUZIDO