Duplicando os desafios

Um turbilhão é a mais intricada e icônica complicação em alta relojoaria. Um elaborado sistema mecânico para regular a velocidade na qual um relógio "bate", esta engenhosa complicação supera os efeitos da gravidade colocando (o) a roda de balanço do movimento e o escape dentro de uma gaiola rotativa. Revolucionário quando foi inventado em 1801, as técnicas modernas de precisão, muitas delas desenvolvidas pela TAG Heuer, tornaram-no obsoleto. Ainda assim, o turbilhão permanece uma "novidade" clássica, característica de muitos relógios de luxo de ponta porque, em sua ornamentada complexidade, geralmente visível através de uma janela no mostrador; ele chama a atenção e é a vitrine da virtuosidade relojoeira.

Lindamente complexo, mas lento, impreciso e desnecessário: por estas razões a TAG Heuer, a casa suíça de relógios de luxo de maior compulsão pela precisão, obcecada pela performance, jamais produziu um relógio de escape de turbilhão. Isto é, até que o departamento de Ciência e Tecnologia da TAG Heuer, na sua busca de tolerância zero por precisão de cronógrafos, aceitou o desafio de reinventar o turbilhão, fazendo dele não apenas um prazer de olhar mas, como todas a criações TAG Heuer, incrivelmente rápido, preciso e de vanguarda. O resultado é uma maravilha mecânica que quebra todos os recordes de velocidade e de precisão e estabelece a cena para o primeiro cronógrafo com dupla certificação.