100 saltos por segundo

Desde 1969, o ano em que a TAG Heuer lançou o primeiro movimento automático cronografo do mundo, o casamento do movimento de relógio com funções de cronógrafo tem se tornado procedimento padrão de operação . Há um um sério "problema", contudo, com esse sistema isocrônico: seu sistema de engrenagem de roda aumenta a perda de energia.

Este é um dos maiores dilemas do design de cronógrafos - como evitar que a operação do cronógrafo perturbe a operação do relógio. Um primeiro caminho de pesquisa levou ao TAG Heuer Calibre 360, em março de 2005 com seu módulo adicional para o cronógrafo. Então, a resposta veio com o cronógrafo TAG Heuer Mikrograph 1/100 de segundo em janeiro de 2011, engenhosamente esquipado com duas engrenagens cinemáticas - uma para o relógios e a outra para o cronógrafo, integrados no mesmo movimento.

O MIKROTOURBILLONS é construído com o mesmo movimento integrado com a arquitetura de engrenagem dupla, eliminando, assim, a necessidade de um sistema de ajuste. Ao separar a engrenagem do relógio da engrenagem do cronógrafo, elimina-se os riscos do cronógrafo influenciar o relógio e vice-versa; mas, e o mais importante, ele reduz a perda d energia e otimiza a precisão do orgão regulador do cronógrafo. Esta arquitetura de engrenagens duplas permite a todos os relógios "MIKRO" (MIKROTOURBILLONS, MIKROGIRDER, MIKROTIMER e MIKROGRAPH) serem conformes à ISO 3159. O MIKROTIMER e o MIKROGRAPH são também certificados pelo COSC - isto é com a função do cronógrafo rodando, um feito virtualmente impossível de alcançar por cronógrafos de mono-frequência convencionais.

{$content}