Fangio EL MAESTRO

UMA ESTRADA ÚNICA PARA O SUCESSO

"Você deve sempre buscar ser o melhor, mas você jamais deve pensar que já é."

Antes de Juan-Manuel Fangio, pilotos de Fórmula 1 com seus 30 e poucos anos eram considerados velhos demais para ganhar uma única corrida, quem dirá um Campeonato Mundial.

Fangio só fez sua primeira corrida de F1 aos 37 anos. Ele então conquistou cinco Campeonatos Mundiais, provando de uma vez por todas que idade não importa, apenas garra e talento, um desejo de ser o melhor e uma capacidade de jamais sucumbir à pressão.

...COMO A TAG HEUER

Fangio tornou-se uma lenda ao ganhar o Campeonato Mundial de Pilotos cinco vezes. Um recorde histórico superlativo alcançado pelas maiores demonstrações de habilidade e ousadia já vistas; o maior piloto de todos os tempos.
Como a TAG Heuer, ele redefiniu os limites de seu campo e jamais sucumbiu à pressão. Sua primeira corrida, aos 18 anos, em 1929, foi em uma estrada de terra em sua Argentina natal, atrás da direção de um Ford táxi. Logo ele estava ganhando os mais perigosos circuitos de resistência jamais disputados, 10.000 km serpenteando em estradas sem pit stops ou mecânicos através da coluna vertebral da Cordilheira dos Andes, de Buenos Aires a Lima, no Peru, e de volta...

O glamour do Grand Prix o atraiu para a Europa, começando assim a mais impressionante carreira no automobilismo: 24 Grand Prix de Campeonatos Mundiais de 52 participações, 29 poles, 48 largadas na primeira fila — todas as três estatísticas inigualadas até hoje. Ele também acumulou o maior número de Campeonatos Mundiais com o maior número de equipes — Alfa Romeo, Ferrari, Mercedes e Maserati. Foi em um Maserati que ele passou por seu pior momento, uma capotagem em um banco de terra em Monza em 1952 que quebrou o seu pescoço. O acidente foi causado por fadiga, não por causa de sua idade, mas porque ele havia dirigido sem parar de Paris na noite anterior, tendo perdido conexões ao acompanhar uma corrida em Belfast. Perto da morte, ele se segurou e se recuperou, retornando ao Grand Prix na temporada seguinte e terminando em segundo no geral. Mais quatro Campeonatos Mundiais se seguiram, o último em 1957, aos 46 anos de idade. Ele ainda estava dirigindo aos 80 anos: quando sua carteira de motorista foi revogada por causa da idade, ele desafiou o departamento de trânsito para uma corrida de 400km entre Buenos Aires e Mar del Plata. Adivinhe quem venceu. El Maestro, o desbravador de caminhos, um homem determinado, como a TAG Heuer, a perseguir a magnitude, que recusa limites e jamais sucumbe à pressão.

SAIBA MAIS

EMBAIXADORES

Há mais de 150 anos a TAG Heuer tem encarado cada desafio, e superado todos eles. Desafiando convenções da relojoaria suíça consagradas através dos tempos, ela as elevou a níveis cada vez mais altos de precisão e desempenho. Ela faz suas próprias regras, escolhe seu próprio caminho, nunca desiste de avançar, nunca cede, nunca sucumbe à pressão, assim como seus embaixadores.